» FlashSB / Notícias / Segurança
19.09.2017 - 160 clique(s)
Falta de vagas motiva soltura de mais de 300 apenados do semiaberto em Porto Alegre
 // compartilhar

Risco de reincidência preocupa Ministério Público. Grande parte dos presos tem antecedentes criminais, por crimes como furto, roubo, tráfico ou ameaça.

 

Mais de 300 condenados que cumprem pena no regime semiaberto foram liberados neste ano da Cadeia Pública de Porto Alegre, novo nome do Presídio Central, devido à falta de vagas. Com a superlotação nos presídios e nas delegacias, a Justiça vem soltando os presos menos perigosos.

Em Alvorada, Região Metropolitana de Porto Alegre, os presos estavam na carceragem e em viaturas na delegacia. O mais antigo era mantido nessas condições desde o dia 18 de agosto.

O juiz Roberto Coutinho Borba promoveu a soltura em função das condições impróprias da delegacia para a permanência de presos. Muitos agentes estavam com as viaturas inoperantes, atuando como agentes penitenciários, enquanto deixam de atuar na segurança da população.

O Ministério Público estuda em quais casos deve recorrer. Segundo a promotora de Justiça Melissa Passos Soares, as medidas só trarão ainda mais trabalho. A polícia vai acabar, daqui a uma semana, 15 dias, tendo que fazer retrabalho de capturar de novo, porque eles são reincidentes, projeta.

Muitos presos têm várias passagens pela polícia. Entre os crimes, furto, roubo, tráfico de drogas e ameaça. Hoje, 159 presos estão em viaturas ou nas carceragens das delegacias da capital e Região Metropolitana, diz o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana, Fábio Motta Lopes. Existem alguns, por exemplo, ali em Canoas, que estão há mais de 35 dias aguardando vaga no sistema prisional nessa situação inadequada, conta Lopes.

Em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, em frente à delegacia, três viaturas estão lotadas de presos. A reportagem testemunhou, por exemplo, um dos presos algemado a outro detento, deitado na calçada.

No total, são 28 presos divididos entre celas e viaturas. O tempo máximo que um suspeito pode permanecer em uma delegacia é de 24 horas.

O que aconteceu em Alvorada não é um caso isolado. O juiz da Vara de Execuções Criminais, Sidinei Brzuska, revelou que neste ano já soltou 327 presos. Por enquanto, é preso do regime semiaberto que está ilegalmente no fechado. Se opta por aquele que está mais tempo preso e aquele que cometeu crime menos violento. Basicamente o menos pior, esse é o critério.

https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/falta-de-vagas-motiva-soltura-de-mais-de-300-apenados-do-semiaberto-em-porto-alegre.ghtml

 // confira outras notícias
 // comentários
© FlashSB / 2012 - Todos os direitos reservados.
Melhor visualizado em 1024x768px. Desenvolvido por index1.