» FlashSB / Notícias / Economia
06.01.2016 - 478 clique(s)
Exportaes para a Argentina podem dobrar, aponta estudo
 // compartilhar

Brasil pode se beneficiar de mudanças em regras comerciais do novo governo vizinho

Depois de amargarem resultados mais fracos nos últimos quatro anos, as exportações brasileiras para a Argentina podem retomar um cenário mais positivo a médio prazo. Estudo feito pelo Departamento de Economia do Bradesco estima um potencial de US$ 12,4 bilhões de aumento das vendas nos próximos anos. Isso significa dobrar o valor das exportações, já que o montante exportado em 2015 foi de US$ 12,8 bilhões. A projeção considera que as exportações vão retomar o nível observado em cada setor nos últimos anos. Tal desempenho levaria a um aumento de 1,7% do nível da produção industrial brasileiro, segundo o trabalho.

Numa estimativa mais conservadora — que não considera aumento nos setores com maior competição com produtos chineses, como têxteis e calçados —, o aumento é de US$ 9,2 bilhões das exportações. Nesse caso, o crescimento da produção industrial seria de 1,3%. A Argentina é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil, atrás apenas de China e Estados Unidos.

— A reabertura da economia argentina vai permitir a retomada das exportações brasileiras, mas a velocidade depende de quando e como eles vão sair da crise. É difícil precisar um tempo, mas há um potencial grande de aumento se as vendas retornarem a picos históricos. Nos setores em que há mais concorrência chinesa, há mais incerteza. Mesmo sem considerar esses setores, o aumento esperado é de US$ 9,2 bilhões nos próximos anos — afirma o economista do Bradesco Leandro de Oliveira Almeida, responsável pelo estudo.

Os ganhos para a indústria brasileira, no entanto, devem ser diferentes entre os setores. A principal beneficiada será a indústria automobilística, cujo aumento de exportações é esperado em US$ 4 bilhões, quase metade dos US$ 9,2 bilhões. Isso significará um salto de 10,2% na sua produção.

GANHO A MÉDIO PRAZO

O novo governo do presidente Mauricio Macri já trouxe mudanças. Foi eliminado o sistema que exigia autorizações prévias para as importações de produtos para a Argentina, as chamadas declarações juramentadas. Além disso, foram suspensos impostos para exportações. A simplificação e a redução do custo devem estimular o comércio exterior, tanto pelo lado das importações quanto pelas exportações.

A curto prazo, no entanto, um dos fatores que dificultam essa retomada é a própria economia argentina, que deve ter retração em 2016. Pela projeção do Bradesco, a recessão esperada é de 1,5%. Ao mesmo tempo, o processo de ajuste da economia e a liberalização do câmbio devem levar à desvalorização do peso, o que encarece os produtos importados.

A concorrência com os produtos chineses é outro ponto que limita a retomada das exportações brasileiras. Ao longo dos últimos anos, a China e os países asiáticos, como um todo, ganharam espaço no mercado argentino. Em 2010, o Brasil respondia por 31,1% das importações argentinas, enquanto os países asiáticos tinham uma fatia de 22,9%. Nos primeiros nove meses de 2015, essas fatias passaram para 21,8% e 29,5%, respectivamente.

— Vemos com entusiasmo a mudança na Argentina, de um governo que via o protecionismo como alternativa de desenvolvimento para um governo que defende a liberdade do comércio. Vemos uma possibilidade de aumento de exportações, mas não sei se será possível retomar 100% das exportações por causa da concorrência com a China, principalmente em bens de capital — explica o vice-presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), Fabio Faria.

Para a professora da Uerj e pesquisadora do Ibre/FGV Lia Valls Pereira, a retomada das exportações brasileiras depende essencialmente da demanda argentina, mas a concorrência da China também é um fator importante:

— A economia argentina é menor que a brasileira, então se recupera mais rápido, mas há um ajuste. E mesmo quando conseguir retomar a economia, há a concorrência dos chineses.

Fonte:O Globo.

 // confira outras notícias
 // comentrios

© 2018 - FlashSB - Levando São Borja para o mundo!
João Manoel, 2600 - Centro - São Borja / RS
Telefones: (55) 3431- 3960 / (55) 9 9962-1270
Desenvolvido por Index1