» FlashSB / Entrevistas /
619 clique(s)
Nosso entrevistado é o jovem advogado, Vinícius Hilbig do Amaral -atualmente Presidente do Instituto de Cultura Espírita Caminho da Luz
 // compartilhar

Nosso entrevistado é o jovem advogado, Vinícius Hilbig do Amaral, formado aos 23 anos de idade pela URI de Santo Ângelo, atualmente Presidente do Instituto de Cultura Espírita Caminho da Luz, onde participa das atividades relativas a Doutrina Espírita segundo Allan Kardec há cerca de oito anos.

 

FlashSB- Considerando a atividade que exerce no meio religioso, qual o objetivo da Doutrina Espírita?

Vinícius- A Doutrina Espírita é um mecanismo de autoconhecimento, que nos proporciona aprofundar o conhecimento em nós mesmos diante das Leis Universais. Tem como objetivo aperfeiçoamento moral do ser humano, com base nos exemplos deixados pelo nosso modelo e guia Jesus Cristo. São realizados estudos com base na decodificação de Allan Kardec, palestras públicas na casa onde trabalho; lembrando que o Espiritismo trata de Religião, Filosofia e Ciência; trata-se de uma doutrina filosófica, de base científica e de consequências morais.

 

Allan Kardec nos disse: “Toda religião que não tornar o homem melhor, não atinge seu objetivo”. Assim é a Doutrina Espírita, busca melhorar aquele que quer e busca a melhora, assim tornando nossos fardos/problemas mais leves, compreensíveis proporcionando uma melhor resignação.

 

FlashSB- Quais os trabalhos realizados no Instituto de Cultura Espírita Caminho da Luz?

Vinícius- Mantemos grupos de estudo sobre o Espiritismo, onde são estudadas as obras espiritas, passes de energia fluídica de forma coletiva ou isolada, atendimento fraterno; há trabalhos muito bem desenvolvidos para crianças, adolescentes e idosos, sendo que estes últimos formaram um grupo de canto e já fizeram diversas apresentações em eventos espiritas na nossa cidade. Ainda, existem algumas famílias assistidas pela nossa Casa, recebendo auxílio mensal em alimentos, de forma temporária e rotativa.

 

FlashSB- Como se mantém a Casa Espírita?

Vinícius- Nossa casa espírita se mantém através da venda de livros em nossa livraria, mensalidades dos sócios, por meio de doações em dinheiro e através da doação de roupas que são comercializadas em um pequeno Brechó realizado algumas vezes no ano, onde as peças arrecadadas são vendidas em preços muito baixos. Ressaltando que nossa casa não possuí trabalhadores com remuneração, são todos voluntários e atualmente contamos com aproximadamente 40 (quarenta) voluntários dentre eles: atendentes, palestrantes, facilitadores, etc.

 

FlashSB- A Doutrina Espírita tem como dogma a reencarnação. Qual a razão para tanto?

Vinícius- A reencarnação é uma Lei Natural, assim como nascer e desencarnar. Não foi o espiritismo quem criou, sendo que o Hínduismo já falava sobre o tema há quase oito mil anos, Jainismo, Hinduísmo, Budismo, entre outras. Até mesmo o Catolicismo, sendo que a palavra ‘reencarnação’ constava na Bíblia e fora removida por ordem do imperador Flávio Arcádio (quando do II Concílio de Constantinopla em 553), cumprindo o desejo de sua esposa Rainha Eudóxia que não queria reencarnar negra/escrava. 

 

De forma mais abrangente, pode se utilizar a seguinte afirmação: tendo o conhecimento que Deus é eterno, infinito, imutável, imaterial, único, soberanamente justo e bom, só a reencarnação explica as diferenças físicas/intelectuais/morais humanas e as razões de nossas dificuldades e habilidades que quase sempre tem uma razão pretérita.

 

 

FlashSB- Que mensagem deixaria para as pessoas que não conhecem o Espiritismo?

 ViníciusUm dos grandes desafios da vida é o autoconhecimento. Quando nos conhecemos, mesmo que superficialmente, o que há por de trás das nossas ‘máscaras’, iniciamos o processo de cura por mais doloroso que seja. O Espiritismo nos proporciona enfrentar as nossas imperfeições, através da fé raciocinada, nos proporcionando resignação e compreensão. Com o decorrer do tempo percebemos que o nosso sofrimento é fruto das nossas imperfeições e é o remédio amargo para o nosso melhoramento. Aprendemos pelo amor ou pela dor; que sejamos sábios o suficiente para escolhermos aprender pelo amor.

 

 

Vinícius nos deixa esse  texto como sendo um modelo que busca diariaria:

 

 

SER ESPÍRITA: Ser espírita não é ser nenhum religioso; é ser cristão. Não é ostentar uma crença; é vivenciar a fé sincera. Não é ter uma religião especial; é deter uma grave responsabilidade. Não é superar o próximo; é superar a si mesmo. Não é construir templos de pedra; é transformar o coração em templo eterno.

                   Ser espírita não é apenas aceitar a reencarnação; é compreendê-la como manifestação da Justiça Divina e caminho natural para a perfeição. Não é só comunicar-se com os Espíritos, porque todos indistintamente se comunicam, mesmo sem o saber; é comunicar-se com os bons Espíritos para se melhorar e ajudar os outros a se melhorarem também.

                   Ser espírita não é apenas consumir as obras espíritas para obter conhecimento e cultura; é transformar os livros, suas mensagens, em lições vivas para a própria mudança. Ser sem vivenciar é o mesmo que dizer sem fazer. Ser espírita não é internar-se no Centro Espírita, fugindo do mundo para não ser tentado; é conviver com todas as situações lá fora, sem alterar-se como espírita, como cristão.

                   O espírita consciente é espírita no templo, em casa, na rua, no trânsito, na fila, ao telefone, sozinho ou no meio da multidão, na alegria e na dor, na saúde e na doença. Ser espírita não é ser diferente; é ser exatamente igual a todos, porque todos são iguais perante Deus. Não é mostrar-se que é bom; é provar a si próprio que se esforça para ser bom, porque ser bom deve ser um estado normal do homem consciente. Anormal é não ser bom.

                   Ser espírita não é curar ninguém; é contribuir para que alguém trabalhe a sua própria cura. Não é tornar o doente um dependente dos supostos poderes dos outros; é ensinar-lhe a confiar nos poderes de Deus e nos seus próprios poderes que estão na sua vontade sincera e perseverante. Ser espírita não é consolar-se em receber; é confortar-se em dar, porque pelas leis naturais da vida, "é mais bem aventurado dar do que receber". Não é esperar que Deus desça até onde nós estamos; é subir ao encontro de Deus, elevando-se moralmente e esforçando-se para melhorar sempre. Isto é ser espírita.

Com as bênçãos de Jesus, nosso Mestre.

Do Livro "Aprendendo a lidar com as crises" Wanderley Pereira. 

 // confira outras entrevistas
 // comentários
© FlashSB / 2012 - Todos os direitos reservados.
Melhor visualizado em 1024x768px. Desenvolvido por index1.